Quimiosmose em cloroplasto

Vamos dividir,

  1. O que produz energia (que é convertida na forma de gradiente de prótons)?
  2. Mitocôndria (M): Repartição completa da glicose. (ou seja, reduzindo os equivalentes NADH e FADH2)
  3. Cloroplastos (C): Reações leves da fotossíntese.
  4. Onde está o gradiente?
  5. M: Entre o espaço intermembranoso e a matriz
  6. C: Entre o espaço interthylakoid e thylakoids
  7. Produtos de quimiosmose?
  8. M: ATP
  9. C: ATP [NADPH + H ^ + é produzido diretamente devido ao transporte de elétrons, e não devido ao gradiente de prótons, que é o que diz respeito à quimiosmose.]

Quimiosmose em mitocôndrias vs cloroplastos:

Semelhanças:

  • envolvem cadeias de transporte de elétrons que excitam elétrons e produzem energia
  • essa energia é usada para bombear prótons (íons H +) através de uma membrana contra o gradiente de concentração
  • à medida que os prótons se difundem passivamente através da membrana, eles entram através da ATP sintase e é produzido ATP (essa parte é chamada de fosforilação oxidativa)

Diferenças:

  • na mitocôndria, a quimiosmose começa na matriz mitocondrial
  • os prótons são bombeados para fora da matriz (através da crista) para o espaço intermembranar, antes de se difundirem novamente na matriz
  • ATP sintase são incorporados na crista
  • no cloroplasto, a quimiosmose começa no estroma (o fluido do cloroplasto)
  • os prótons são bombeados para os tilacóides (os discos no cloroplasto) através da membrana dos tilacóides, antes de se difundirem novamente no estroma
  • ATP sintase são incorporados na membrana tilacóide