Qual é a diferença entre magia e religião?

Níveis variados de controle da mente, dependendo da religião. A magia é totalmente relativista e a religião pelo menos tenta ter uma história. A magia brinca com verdades espirituais divorciadas da responsabilidade e do significado. Além disso, a religião pelo menos tenta oferecer um estilo de vida estável. Só a magia é uma profissão de mestre e a maioria dos mestres ainda não sabe como viver.

Deist o filho do diabo aqui. Magia é real? Sim, embora você seja estúpido demais para entender como, e mesmo assim, quando entender, não vai querer ser honesto consigo mesmo ou com os outros. Por quê? Porque você não sabe ser honesto quando sacrifica a inocência de sua alma. Torna-se um padrão. Lotz de niilismo sustentado. A maior parte da magia é confiança, runas, sabedoria e tempo ... e esse é o material mais importante que lida com virtudes, geometria, comportamentos e execução ... tudo cognitivo e expresso livremente. Então você tem a saúde, a motivação, as versões irracionais, o tipo de sistema interno mágico, a consciência mágica, a magia sexual, as ciências materiais, as ciências da computação e então há a porra da MÁGICA onde as pessoas literalmente não fazem nada ... depois, existem as pessoas que usam a magia do tipo Estatística que tenta anular tudo e fazer tudo acontecer ... então há MORALIDADE, ESTUPIDEZ, ULTIMATUMS, WIERDINGS, Wardings, e literalmente as pessoas acreditam em incerteza ... como a palavra SE … .Lol !, você tem táticas, estratégia, resolução, busca [sim, isso também é mágico], e especificações .... e então há o….

A morte é mágica. Faz corpos que não funcionam mais e pessoas que não se importam antes de repente se importam. A morte é o milagre final. Por quê? Porque é o truque de desaparecimento mais eficaz. Sua alma ainda existe. Essa é a parte ruim. A parte neutra é que, uma vez que você é deportado de seu corpo, não experimentará nada.

Existe a chance de THE MEMORY OF CHAOS varrer sua alma em sua corrente ...... isso foi apenas um pesadelo que eu tinha quando tinha seis anos. Não posso nem dizer que nada é mais aterrorizante. É terror. A comparação é ridícula de se tentar.

Magia é um poder sobrenatural que geralmente é aceito como inexistente.

A religião inclui deuses que investem poderes sobrenaturais, mas geralmente são aceitos como existentes.

Para ser técnica, a magia tem duas definições - um truque de mão, que as pessoas cumprimentariam com uma salva de palmas; e habilidades sobrenaturais, que as pessoas saudariam com "Blasfêmia!". Embora as religiões tenham Deus que não cumpre nenhum senso de física, biologia e lógica, ainda porque os deuses não podem ser provados ou refutados, e a maioria das pessoas históricas acredita nelas, as religiões continuam por séculos.

Qual a diferença entre magia e religião?

Magia: o poder de influenciar aparentemente o curso dos eventos usando forças misteriosas ou sobrenaturais. Usado em magia ou trabalhando com mágica; ter ou aparentemente ter poderes sobrenaturais

Religião: a crença e o culto de um poder sobre-humano, especialmente um Deus ou deuses pessoais.

Para começar com a principal diferença ... As religiões são uma coisa real (as reivindicações do divino não são demonstradas - ou seja, nenhuma evidência para apoiar) e a Magia é faz de conta. (não importa como você queira soletrar)

As religiões são reais - cristianismo, islamismo, judaísmo, budismo etc.

Magia é fazer de conta.

Qual é a diferença entre magia e religião?

Boa pergunta!

Antropologicamente, crenças mágicas são geralmente consideradas um subconjunto de crenças religiosas.

Eu definiria “mágica” como qualquer ato ritual (e as crenças associadas) que o praticante e / ou sua audiência acreditam que causará algo ocorrer por meios sobrenaturais. É uma maneira de tentar controlar a natureza, ou controlar outras pessoas, sobrenaturalmente.

Lembre-se do aforismo de que qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia, para aqueles cujas culturas não têm o conceito de causa e efeito puramente natural como um axioma firme. Afinal, é a única coisa que nos impede hoje de acreditar que espíritos mágicos dentro do controle remoto da nossa TV viajam invisivelmente para o aparelho e o ligam quando pressionamos o botão, fazendo com que o aparelho receba sinais de longe. lugares e mostre-os para nós. Podemos não entender como isso funciona, mas acreditamos firmemente que tudo tem uma causa natural, sujeita a uma explicação científica.

Religião, por outro lado, para antropólogos é um termo muito mais amplo do que simplesmente coisas relacionadas a divindades ou igrejas. O conceito de religião inclui qualquer atividade realizada ritualmente e regularmente, que é determinada pelo sistema de crenças de uma sociedade - bem como pelo próprio sistema de crenças - independentemente de esse sistema de crenças envolver ou não a fé na existência de quaisquer seres ou forças sobrenaturais, e se envolve ou não qualquer forma de mágica. Algumas formas de crença religiosa consideram o sobrenatural, se é que podemos falar disso, consistir em conceitos ou características abstratas ou ideais (o "espírito" da justiça, por exemplo, ou o "espírito" do amor ou da verdade ou de beleza) e a eterna sabedoria a eles associada, e não como um ser ou entidade concreto e personalizado.

Suponho que por "mágica" o OP não quis se referir a "mágica" falsa ou em estágio, ou seja, prestidigitação, infâmia, domínio da legenda e outras artes antigas destinadas a enganar os olhos ou ouvidos para ignorar a causa e efeito reais e a crença. uma ilusão. Poder-se-ia dizer com confiança, porém, que esse truque se desenvolveu ao lado, e muitas vezes era indistinguível ao longo da história, a partir da mágica "real".

Mas, uma palavra de cautela ao rejeitar a mágica imediatamente. Freqüentemente, há uma causa e efeito muito real e natural de certos rituais mágicos, mas apenas um que os praticantes ou observadores desse ritual reconhecem como natural. Isso porque a crença na eficácia dos rituais mágicos pode ter um efeito psicossomático no crente, especialmente na mágica que se destina a causar danos a outra pessoa.

Ou seja, se uma pessoa que acredita em um conjunto específico de práticas mágicas sabe que foi submetida a uma certa maldição ou azaração mágica, esse próprio conhecimento muitas vezes pode fazer com que a pessoa sofra sintomas e até morra, como resultado de estresse e medo.

Finalmente, um subconjunto de crenças mágicas é chamado de superstição. "Superstição" é a crença de que certas coisas comuns que uma pessoa pode fazer podem ter um efeito essencialmente mágico, que geralmente age como um motivador para evitar essas atividades, pelo menos nessas circunstâncias ou naqueles momentos em que o suposto efeito mágico é considerado provável acontecer.

Obrigado pela A2A.

Alguém poderia escrever um livro, e as pessoas sim, mas os antropólogos geralmente consideram a magia como uma prática destinada a controlar o sobrenatural ou manipular o sobrenatural para criar resultados específicos no mundo.

A religião pode ser vista simplesmente como crença no sobrenatural, mas muitos sociólogos e antropólogos vêem a religião como um sistema de crenças e práticas morais. Geralmente, quando as pessoas falam sobre religião, a discussão é sobre tradições com sistemas de crenças complexos e instituições bem desenvolvidas. É útil distinguir isso de uma crença individual no sobrenatural.

Malinowski fez uma distinção: a magia é um meio para um fim, enquanto a religião é um fim em si mesma.

Não há acordo universal, no entanto. Claramente, há alguma sobreposição entre os dois. Não há razão para que práticas mágicas para manipular o mundo não possam fazer parte de um sistema coletivo de crenças, por exemplo.

Com essas definições, poderíamos argumentar que algumas religiões são muito mais mágicas que outras. As pessoas religiosas fazem as coisas para realizar as coisas por meios sobrenaturais: os protestantes rezam, os budistas acendem incenso, os católicos borrifam água benta e assim por diante. Às vezes, o clero critica esses atos como superstição e incentiva as pessoas a buscarem a Deus como seu próprio fim, em vez de tentar manipulá-lo dessa maneira.

Além disso, podemos ver algumas religiões como mais mágicas que outras. Mas é claro que também há uma tendência a chamar as crenças que pensamos serem mágicas primitivas ou falsas, e aquelas que respeitamos como religião.

Faz sentido falar sobre magia como uma prática destinada a usar forças sobrenaturais para manipular o mundo, enquanto a religião é um sistema institucionalizado de crenças e práticas.