Qual é a diferença entre graça e misericórdia no cristianismo?

Misericórdia é a diferença entre perfeição e o que uma pessoa é verdadeiramente capaz.

Deus não espera perfeição de criaturas imperfeitas. Ele espera que vivamos perfeitamente como somos capazes de fazê-lo.

Somos julgados pela verdade do nosso ser, não pela perfeição do padrão. Tal julgamento exibe misericórdia. Como exemplo: a pessoa que tem um hábito profundamente arraigado que os leva a cometer o mesmo pecado repetidamente será julgada de maneira diferente da pessoa que não tem esse hábito e que escolhe livremente cometer esse pecado.

Graça é simplesmente uma palavra para um presente não merecido.

Existem dons de graça bastante básicos e concretos dados a todo ser humano: a existência é um deles.

A graça de Deus vem de várias formas, mas todas são partes de um todo unificado: são presentes que vêm do amor de Deus por nós e uma expressão do ser; a própria natureza do amor.

Misericórdia

não está executando o que é legal: você deve ficar com aaaa porque fez xxx, mas a misericórdia reduz ou abstém-se dessa conseqüência legal; a lei de colher o que se semeia não é proporcionalmente adequada. A misericórdia não é garantida, mas é um ato de compaixão e, como a graça, é um ato de favor. É frequentemente dado a quem não conhece melhor. A misericórdia é geralmente dada à humanidade, e especificamente àqueles que entram em contato com Deus para obter ajuda / resgate / alívio. O destinatário da misericórdia é feliz, mas não necessariamente agradecido.

Graça

é uma graciosa produção de Deus para sua criação, a fim de efetuar o que não é possível por meios terrenos. A entrada da graça dá liberdade onde não há liberdade, ou uma avenida onde há impossibilidade. O destinatário da graça é alegre e agradecido.

"

É da misericórdia de Yahweh que não somos consumidos, porque suas compaixão não falham.

”(Bíblia Sagrada - Lam3)

"

Pois a lei foi dada por Moisés, mas a graça e a verdade vieram de Yah-u-shua (Jesus), o Messias. ” (Bíblia Sagrada - João 1)

A graça é o livre ato de Jesus. Está relacionado à sua Expiação. É o método pelo qual habilita a Misericórdia sem roubar a Justiça. A graça é oferecida gratuitamente e é a decisão de Cristo de conceder, mas repetidamente no Novo Testamento, Ele ensinou as condições que ele esperava que as pessoas seguissem para receber a Graça. Por exemplo, ele falou de um criado que devia a seu mestre uma dívida incrivelmente grande de 10.000 talentos. Depois que o servo foi perdoado por essa dívida, ele perdeu o perdão porque exigiu o pagamento de um colega por uma dívida de 100 denários (centavos) ou cerca de três meses de salário para um trabalhador. Nem todo mundo vai se beneficiar da graça, essa escolha será de Cristo, com base em suas próprias condições.

Misericórdia é um tipo de graça. No cristianismo, a misericórdia é a maneira de Deus nos mostrar que, enquanto nos humilharmos, Ele nos dará a punição menos severa possível por nossas ações. Ele preservará a justiça, mas da maneira mais misericordiosa possível. Misericórdia é como graça, pois também é dada a nós diariamente por causa de Jesus Cristo, que é Deus. Jesus, quando morreu na cruz, nos deu a derradeira experiência de misericórdia, pois não precisamos sofrer nenhuma morte por nossos pecados por causa Dele. Mesmo que pecemos, Deus concede piedade de nós.

Grace é uma história um pouco diferente. A graça é o favor constante e contínuo de Deus para conosco. Ela se manifesta para nós, seja o perdão de nossos pecados (misericórdia) ou um amigo que responde ao Espírito Santo para nos ajudar. Nesse sentido, a graça é Deus continuamente nos dando pequenos e grandes presentes que mostram Seu amor eterno e onipresente por nós.

Misericórdia é simplesmente reter um castigo que é merecido ou algo terrível que alguém poderia infligir a você, mas não o faz.

A graça é um conceito muito maior, que abrange não apenas reter uma coisa muito ruim que é merecida, mas também dar uma coisa boa que não é merecida.

Existem diferentes marcas de graça. Uma marca permite obter um bom tratamento, mesmo que seja merecido um tratamento muito ruim. É considerado graça com base na idéia de que você deve ser punido por seu pecado, não importa o bem que possa fazer. A graça é que você pode "cancelar" o pecado pelo bem que faz.

A outra marca baseia o bom tratamento, não no objeto da graça, mas no doador da graça. O doador da graça dá coisas boas simplesmente porque elas gostam de dar coisas boas. Em alguns casos, isso se deve em parte a um afeto inerente ao objeto da graça que não está relacionado ao bom ou mau comportamento do objeto da graça. Também é em parte porque o doador da graça quer ser famoso por ser gracioso com os objetos da graça baseados nesse afeto inerente.

Graça: (na crença cristã) o

livre

e

imerecido

favor de Deus, como manifestado na salvação dos pecadores e na concessão de bênçãos.

Como demonstrado por sermos pecadores e merecermos a ira de Deus, mas Ele nos mostra graça, fornecendo-nos um caminho (Jesus) para sermos irrepreensíveis diante dEle e, portanto, ficarmos livres do castigo que virá (julgamento e inferno).

Não havia nada que pudéssemos fazer para ganhar esta salvação.

Misericórdia: compaixão ou perdão demonstrado por alguém a quem está ao alcance de alguém punir ou prejudicar.

Como demonstrado pelas inúmeras vezes em que os israelitas deram as costas a Deus e O abandonaram por outros ídolos, no entanto, quando eles finalmente se voltaram para Ele, clamando por ajuda, Deus teve piedade deles e não os destruiu, mas providenciou e cuidou para eles.

A graça é um dom totalmente gratuito de Deus. Não podemos fazer absolutamente nada para "conquistá-lo" e não temos "direito" a isso. O principal meio pelo qual Deus nos concede graça é através dos sacramentos, esses são os meios que Jesus estabeleceu para nos comunicar graça. O primeiro deles, sem o qual nenhum dos outros pode ser recebido, é o batismo. Os sacramentos funcionam ex opere operato (veja abaixo). Portanto, o meio pelo qual recebemos a graça de Jesus é pela recepção digna dos sacramentos realizados pelo ministro apropriado designado por Jesus por meio de Sua Igreja.

A graça, como tal, é uma participação na própria vida de Deus: em outras palavras, ao nos dar uma graça santificadora, ele está realmente dando parte de sua própria vida a nós.

de

Dicionário Católico Moderno

por John A. Hardon, SJ Doubleday & Co., Inc. Cidade de Jardim, NY 1980

Ex opere operato. Um termo definido pelo conselho de Trento para descrever como os sacramentos conferem a graça que significam. Trent condenou a seguinte proposição: “que a graça não é conferida 'ex opere operato' pelos sacramentos da Nova Lei” (Denzinger 1608). Literalmente, a expressão significa “do trabalho realizado”, afirmando que a graça é sempre conferida por um sacramento, em virtude do ritual realizado e não como um mero sinal de que a graça já foi dada, ou que o sacramento estimula a fé do destinatário e portanto, ocasiona a obtenção da graça, ou que o que determina a graça é a virtude do ministro ou do destinatário de um sacramento. Desde que nenhum obstáculo (obex) seja colocado no caminho, todo sacramento administrado adequadamente confere a graça pretendida pelo sacramento. No verdadeiro sentido, os sacramentos são causas instrumentais da graça

Sacramento. Um sinal sensível, instituído por Jesus Cristo, pelo qual a graça invisível e a santificação interior são comunicadas à alma. Os elementos essenciais de um sacramento da Nova Lei são a instituição de Cristo Deus-homem durante sua visível estadia na Terra, e um rito sensivelmente perceptível que realmente confere a graça sobrenatural que simboliza ...

Misericórdia,

por outro lado, mostra bondade amorosa, compaixão ou tolerância a quem ofende, como na misericórdia de Deus, a nós pecadores. Considerando que a graça, pelo menos a graça santificadora, é uma presença permanente de Deus em nossas almas, que nos eleva à Sua própria vida; misericórdia é algo que nos é mostrado aqui nesta vida.

A graça santificadora acabará sendo completa em nós quando estivermos no céu, enquanto a misericórdia termina no instante em que morremos e enfrentamos o julgamento e a justiça de Deus. A misericórdia está apenas se estendendo a nós aqui para nos trazer à Sua graça santificante. A graça aqui é apenas o começo da vida que viveremos eternamente.

de

Dicionário Católico Moderno

por John A. Hardon, SJ Doubleday & Co., Inc. Cidade de Jardim, NY 1980

Misericórdia

. A disposição de ser gentil e perdoadora. Fundada na compaixão, a misericórdia difere da compaixão ou do sentimento de simpatia ao colocar esse sentimento em prática com uma prontidão para ajudar. É, portanto, a disposição pronta para ajudar qualquer pessoa necessitada, especialmente necessitando de perdão ou reconciliação.

de

Um Dicionário Católico

, editado por Donald Attwater, segunda edição, revisada em 1957

Misericórdia

. Uma virtude moral que leva seu possuidor a ter compaixão e a socorrer aqueles que desejam espiritual ou temporalmente. A realização de obras espirituais e corporais de misericórdia é ordenada pelo preceito da caridade. Em seu sentido especial, significa não impor os requisitos da justiça estrita, um temperamento do rigor da lei, que é chamado apropriadamente de clemência.