Qual é a diferença entre design de produto e design industrial?

é a mesma coisa se você verificar as estruturas do curso, nada mais que 2 nomes diferentes para a mesma coisa. no NID eles chamam de PD no IDC eles chamam de ID.

Tecnicamente, design de produtos, design de móveis, design de cerâmica, design de transporte, design de interiores, design de acessórios, tudo isso vem em design industrial.

A diferença depende de com quem estou conversando.

Se estou conversando com um arquiteto, engenheiro ou designer gráfico, digo que sou um designer industrial, porque esse é o termo tradicional e profissional para o que fazemos.

Se estou conversando com um amigo da minha mãe ou alguém da minha idade que acabei de conhecer em uma festa, costumo dizer "Product Designer" porque é mais fácil de entender e é menos provável que eles me confundam com um engenheiro.

Caso contrário, considero-os bastante intercambiáveis.

Normalmente, ao comparar duas coisas relacionadas, seria o caminho mais fácil simplesmente procurar as definições entre essas coisas e comparar dessa maneira. Quando se trata de design de produto e design industrial, não é tão fácil.

O design do produto significa coisas diferentes para pessoas diferentes, e todo o processo pode ser diferente de produto para produto. Essencialmente, design de produto é todo o trabalho que decorre da idéia inicial de um produto, a ponto de os clientes terem o produto em suas mãos (ou, às vezes, até mais do que isso).

O design industrial pode fazer parte do design do produto. De fato, pode ser o design do produto por si só. Mas o design industrial geralmente se aplica apenas a produtos industriais. Assim, enquanto um designer de moda ou desenvolvedor de software usa o design do produto para desenvolver seus conceitos, um designer industrial somente quando o produto final se destina a criar ou produzir algo próprio.

Desenho industrial

A indústria é a razão pela qual as pessoas no mundo desenvolvido têm o padrão de vida que têm hoje. Antes da indústria, tudo era um objeto exclusivamente artesanal. Então veio a criação da produção em massa, que permitiu a um grupo de pessoas, muitas vezes auxiliado por máquinas, criar grandes quantidades de objetos idênticos, de roupas a carros.

Obviamente, nada disso poderia ter acontecido sem os engenheiros para simplificar e otimizar o processo de produção em massa - os designers industriais foram a força por trás da Revolução Industrial. Mais do que engenheiros, esses designers também eram artistas, que encontraram maneiras não apenas de fazer muitos itens baratos, mas também de torná-los esteticamente agradáveis, para que as pessoas quisessem comprá-los.

Os designers industriais usam um produto útil que atende a uma necessidade e o torna ainda mais útil ou mais bonito. São eles que fazem novos modelos de carro ou melhoram a ergonomia de uma cadeira ou teclado de computador. Eles mantêm todas as nossas conveniências modernas atualizadas e novas, tornando-as ainda mais convenientes com o passar do tempo.

Design de produto

O design do produto abrange tudo o que é um produto, incluindo os itens cobertos pelo design industrial. Embora ajude um designer industrial a ser engenheiro em seu campo, não existe tal requisito para, digamos, um designer de roupas ou alguém que desenvolva produtos alimentícios ou talheres. Hoje, os designers de produtos também estão envolvidos na criação de produtos que não têm saída tangível, a saber, produtos digitais como software.

A confusão entre design de produto e design industrial tende a ocorrer nos lugares em que se sobrepõem. Alguém que trabalha para construir ou modificar um avião está envolvido no design de produtos e, provavelmente, também no design industrial. Muitas vezes, realmente não há uma distinção entre os dois.

Os designers de produtos geralmente trabalham para produzir muitos dos produtos diários que usamos todos os dias, mas esses itens especializados, como carros, computadores e muitos dos aparelhos de que desfrutamos, geralmente tinham a mão de um designer industrial, pelo menos em parte da produção. processo.

Diferença -

Honestamente, as distinções não fazem muita diferença, porque os dois tipos de design têm o mesmo objetivo - criar ou refinar um produto. As palavras usadas: 'produto', 'industrial' e 'design' são termos tão amplos em si mesmos que é difícil fixá-los a definições fáceis, para dizer o mínimo.

O design do produto é o que parece - o design de um produto destinado a ser vendido aos consumidores, qualquer que seja o produto. É assim que obtemos coisas novas ou novas versões das coisas que já usamos. O design industrial é exatamente a mesma coisa, mas pertence mais a itens que têm um valor funcional, especialmente itens que exigem industrialização para produzir, como veículos, edifícios etc. Os itens desenvolvidos por meio do design industrial não são necessariamente projetados para o único benefício do usuário - seus objetivos de design também podem facilitar as coisas para o fabricante.

Não há diferença alguma. O termo Design de Produto começou a ser usado, pois as pessoas estavam confusas com a parte Industrial do termo. Costumávamos nos perguntar se projetamos fábricas. Além disso, essa parte industrial do termo coloca na mente das pessoas que lidamos apenas com os aspectos de engenharia do trabalho e não com os aspectos estéticos e ergonômicos. Foi nessa época (nos anos 80) que vendíamos principalmente o design como uma extensão do marketing: design estético e fácil de usar. A parte de engenharia do design, dos anos 70, quando os designers estavam lá para resolver problemas técnicos, estava sendo deixada para trás.

Além disso, todos os cursos da Art College e Polytechnic eram em Design Industrial. Gostaria de saber se hoje eles começaram a mudar o nome do curso para Design de Produto.

Então 'design de produtos' define os limites exatos do que fazemos. Então gostamos do termo Design de Produto e o mantivemos. Hoje eu uso o Design de produtos 90% das vezes e o Design industrial 10% das vezes, principalmente em palavras-chave e similares.

Com o advento do CAD, a parte de engenharia do design voltou. Nos anos 80, eu subcontratava todos os desenhos de engenharia para redatores de engenharia especializados. Agora eu mesmo faço eles. O CAD também pode fazer cálculos mecânicos e FEA, de modo que a engenharia é uma atividade bônus para os clientes.

O único problema agora é que as pessoas também estão chamando coisas como o Design de produtos. Isso é confuso, pois os aplicativos estão no domínio do software e estão no campo do design de software e não do design de produto.

'Produtos' (em Design de Produto) são coisas realmente físicas no mundo 3D. produtos de software nada mais são do que pulsos eletrônicos organizados ou algo assim.

Mesmo as pessoas que trabalham em produtos financeiros como seguros dizem que fazem Design de Produto, novamente isso não está certo.

Design de produto é o título genérico para qualquer disciplina envolvida no design de um produto. Se uma empresa criar um produto de software, os engenheiros de software e seus gerentes serão considerados designers de produto. Um automóvel é um produto que teria uma equipe de engenheiros e designers industriais que fazem parte da equipe de design do produto. Uma dona de casa astuta que cria guardanapos no porão é designer de produtos. Eu acho que você entendeu.

O Design Industrial é uma disciplina específica cujo conjunto de habilidades promove a visualização de conceitos, considera todos os aspectos da interface do usuário do produto (ergonomia, UX, segurança etc.) e trabalha com a engenharia em todos os itens acima (em produtos complexos) para garantir a invólucro estético de peças funcionais e capacidade de fabricação; normalmente um membro de uma equipe de design de produto, conforme mencionado acima. Se você procurar "Design Industrial" na Wikipedia, há uma definição muito precisa lá.

Boa Sorte Vá com Deus!

É mais uma conotação do que uma denotação, mas o designer industrial implica o esforço de trabalhar com todos os obstáculos de design e fabricação para chegar a um produto que atenda aos critérios de funcionalidade, capacidade de fabricação, durabilidade, estética e viabilidade fiscal.

O designer de produto tem menos implicações no ciclo de vida completo e em todos os elementos, supondo que outros estejam ocupando outros componentes desse esforço.

Isso, no entanto, é conotação e há pessoas que se autodenominam designers industriais que produzem apenas renderizações conceituais e pessoas que se autodenominam designers de produtos que nunca trabalham no nível conceitual, mas passam o tempo todo resolvendo problemas de fabricação.

O design industrial abrange aspectos de engenharia e arte. O designer realiza todas as tarefas não apenas na elaboração do conceito geral de um produto, sua funcionalidade e aparência (da ideia aos esboços e visualizações fotorrealistas), mas também cria o design artístico e a criação de protótipos junto aos engenheiros. O design industrial se refere à criação de produtos de hardware. O design do produto lida com as mesmas tarefas que a industrial, mas não apenas relacionado ao desenvolvimento de produtos de hardware, mas também, por exemplo, ao design de sites e sistemas. O design do produto concentra-se em todos os aspectos da criação do produto, aprofundando a investigação. os consumidores e suas necessidades, elaborando o próprio conceito, aspectos de marketing e todo o posicionamento de um produto.

O design do produto, quando usado em uma conversa contemporânea, geralmente significa o processo de criação de um produto para ser servido por uma empresa a seus clientes. O produto final pode ser um elemento industrial fabricado na fábrica ou apenas uma interface digital. Portanto, o design do produto é um termo mais amplo que o design industrial. Um designer industrial pode ser um designer de produtos, mas também um designer gráfico ou de moda (voltando aos princípios do design da velha escola, também podemos dizer que o design é um).

Além disso, se você dividir o processo de design com a conceitualização e a produção, como na arquitetura, o designer de produto geralmente é aquele que cria a primeira fase; se o produto final é projetado para ser um produto industrial, um designer industrial entra no processo.