Qual é a diferença entre biotecnologia, bioinformática, bioengenharia e engenharia biomédica?

A biotecnologia direciona a manipulação de sistemas, animais, plantas e microorganismos vivos para a produção de produtos / efeitos aprimorados e desejados, que oferecem igualmente perspectivas de comercialização. Bioinformática é apenas a aquisição de banco de dados e desenvolvimento de software para a recuperação e execução de informações biológicas de forma compreensível. A engenharia de bioengenharia e biomédica, pelo contrário, envolve a invenção e inovação de instrumentos e equipamentos para facilitar procedimentos cirúrgicos, diagnósticos e de varredura, juntamente com a produção de materiais que poderiam ser substituídos em vez de partes defeituosas do corpo.

Acho que a resposta de Siddiqui provavelmente é a mais próxima. Eu poderia questionar sua definição de bioinformática. A bioinformática cobre uma ampla variedade de áreas:

  • literatura biomédica de mineração de texto,
  • biologia de sistemas
  • biologia estrutural
  • genômica
  • proteômica
  • biologia celular, animal e de doença

só para citar alguns.

As tecnologias subjacentes que as pessoas usam em bioinformática incluem visualização 2D e 3D, bancos de dados relacionais, NoSQL e semânticos, engenharia de software, computação em nuvem.

E se você pensa em bioinformática como se preocupando com

modelagem

realidade biológica, a bioengenharia se preocupa com

criando

novas realidades biológicas (de membros e órgãos artificiais a células e células-tronco).

Biotecnologia:

esse termo é muito amplo e abrangente. Qualquer coisa relacionada ao uso de princípios biológicos para produzir um serviço ou produto de valor agregado é biotecnologia. De fato, a bioinformática é considerada parte da biotecnologia. Os programas de biotecnologia da Hopkins, por exemplo, incluem cursos de bioinformática como uma opção (eu até fiz um curso ao fazer meu MS). A UCSD é formada em bioengenharia com foco em biotecnologia.

Bioinformática:

usando a ciência da computação para responder a questões biológicas ou fornecer a infraestrutura para abrigar dados biológicos. Os problemas abordados pela bioinformática são, por exemplo, como armazenar dados de proteínas / DNA, como converter seqüências de genes em proteínas, como analisar dados biológicos, como facilitar o trabalho de muitos programadores em conjunto, consultas feitas a bancos de dados e informações que podem ser coletados etc. Por exemplo, trabalhei em um laboratório onde fiz um programa biopython para identificar as seqüências cognatas de uma proteína de interesse.

Bioengenharia:

Aplicações de princípios biológicos para biotecnologia. Por exemplo, um bioengenheiro tenta entender, para fins pragmáticos, princípios de engenharia para purificar proteínas ou algo mais abstrato como calcular o estresse de filamentos superenrolados de DNA. No entanto, às vezes um bioengenheiro também aplica esses princípios de engenharia a questões médicas, e é quando a bioengenharia e a engenharia biomédica são equivalentes. De fato, a UCSD possui um programa em bioengenharia: biotecnologia e também um diploma em bioengenharia: engenharia biomédica.

Engenharia Biomédica:

quando eu estava na faculdade, minha ex-namorada era engenheira biomédica, enquanto eu era engenheira química e bioquímica. O curso entre ela e a minha era bastante semelhante, com a exceção de que a dela era aplicável apenas a questões médicas. Por exemplo, como usar os princípios de engenharia para projetar cateteres, quais considerações tomar ao escolher materiais para uso em procedimentos médicos, etc.

O problema e a confusão que surgem dos nomes diferentes são os princípios que eles usam se sobrepõem. Muito tempo, os limites entre cada um deles são muito obscuros. Você tem grupos de bioinformática trabalhando em departamentos de bioengenharia ou bioengenharia que fazem exatamente a mesma coisa que engenheiro biomédico. A distinção, acredito, vem do que é a ciência subjacente usada para fazer a diferença.