Qual é a diferença entre artes e belas artes?

“Belas Artes” é um termo usado no século 19 para distinguir a arte criada por artistas para satisfazer suas próprias necessidades intelectuais e estéticas, em vez de serem encomendadas e satisfazer os desejos de outros. Alguns escritores apontaram que a distinção entre os dois tipos de arte existia anteriormente, mesmo no início da Grécia, mas o termo "arte" não era empregado. Isso parece provável.

Hoje, os limites estão muito confusos. No entanto, em geral, “belas artes” pode ser pintura, gravura, desenho, arte conceitual, fotografia, escultura, escrita (de qualquer tipo), arquitetura, dança, música - realmente qualquer tipo de forma de arte - criada com a intenção da expressão artística, em vez de ser encomendada. A arquitetura é um tanto problemática, uma vez que todos os edifícios tendem a ser comissionados - mas é permitida a definição quando um arquiteto lança muita “expusão artística” ao design que não era estritamente necessário para a finalidade funcional do edifício.

As exclusões da arte são provavelmente mais fáceis de discernir. São eles: a) arte comercial - arte criada para um cliente com uma finalidade estética projetada para vender um produto ou uma mensagem política; b) arte encomendada em que a arte é projetada para uma pessoa ou local específico e que tem um efeito sobre a arte; c) embarcação, na qual o fabricante tenha expressão limitada devido aos materiais utilizados; d) objetos utilitários ou funcionais. Todos estes podem ter uma grande quantidade de elementos artísticos ou qualidade, mas são, por definição, excluídos da "arte".

É interessante - para mim, de qualquer maneira - notar que, por essa definição, algumas das maiores obras de arte do mundo não são “belas artes”. Incluiriam: o teto da Capela Sistina, a Mona Lisa, a Capela Cornaro e todas as suas esculturas de Bernini, todos os retratos de Van Dyke e Rembrandt, etc. etc. etc. Portanto, acho importante lembrar que o termo foi desenvolvido por um monte de artistas que estavam apenas tentando se afirmar. Nada de novo nisso.

Mas não precisamos levar isso a sério. Acho que é mais importante desenvolver nossa capacidade de ver, para que possamos olhar para a arte com nossos corações e nossas cabeças, não importa de que período seja. E faça nossas próprias avaliações - se achamos que é bom (ou não) para nós. Não são necessários termos sem sentido.