Kirito vs quinella

Quinella era, apesar de todas as suas maquinações, fundamentalmente sem conhecimento do mundo exterior. Suas únicas interações com ela foram através de um funcionário da Rath que era dedicado a ela e estava basicamente dizendo a ela o que ela queria ouvir, e Kirito, uma estranha presa em seu mundo e, no submundo, significativamente menos poderosa que ela.

Ela não tinha noção de como era o mundo real. Ela acreditava essencialmente que o mundo exterior seria como o Submundo, mas maior, e que, com base em sua força em comparação com Kirito, ela ainda seria o maior peixe no lago muito maior. Ela nunca foi informada sobre o mundo real (porque seu fã não gostaria de desestabilizá-la e Kirito nunca realmente conversou com ela), então ela assumiu que era apenas mais um 'nível' do que chamaríamos de mundo virtual, mas para ela era o mundo real.

Em uma metáfora perfeitamente misturada, ela pensou que era um peixe grande em um pequeno lago e pensou que estaria "atualizando" para um lago maior, quando realmente deixaria um peixe fora da água.

Ela tinha um plano inteiro com seu “cúmplice” sobre o qual você aprenderá mais no segundo semestre, para ascender ao reino virtual do submundo. Ela estava apostando no fato de que, se ela fosse ejetar, essa pessoa pegaria seu Fluctlight e garantiria que ela sobreviveria e "de alguma forma" faria a transição para um corpo / navio em funcionamento na vida real.

Mal sabia ela que sua cúmplice, junto com todos os outros na Ocean Turtle, estava um pouco ocupada no processo de um ataque militar, muito menos que ela nunca chegaria ao outro lado ou sequer sabia se a pessoa iria ela, antes que Kiku e outros percebam que alguém foi expulso do submundo.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, ela não tinha amplo conhecimento do mundo real, muito menos “planeja fazer o upload para a Internet” como o processo que iniciou, é o processo físico de enviar seu Lightcube (Fluctlight Storage Device) para um dos os dois terminais dentro da Ocean Turtle. Ela não tinha nenhuma capacidade de se carregar na internet.