Diácono católico vs padre

A Ordem é o sacramento pelo qual a missão confiada por Cristo a seus apóstolos continua a ser exercida na Igreja até o fim dos tempos através da ordenação de bispos (superiores), presbíteros (anciãos, no sentido de autoridade) e diáconos (servidores )

Diáconos ou diáconos católicos: diáconos permanentes são homens ordenados a um ofício na Igreja Católica que normalmente não têm intenção ou desejo de se tornarem sacerdotes. Ele pode ser solteiro ou casado.

No catolicismo, existem três níveis de clero, diácono, sacerdote e bispo. Os bispos também podem ser arcebispos e papas. Um diácono ajuda o padre. Um diácono pode ser casado e pode se casar com outras pessoas. Um diácono não pode consagrar o pão e ele não pode ouvir confissões.

Todo clero ordenado nas igrejas católica e anglicana é o primeiro diácono ordenado antes de passar a ser sacerdote. Na igreja anglicana, um permanece diácono por 1 ano e é considerado uma parte importante do treinamento. Na Igreja Católica, é simplesmente um estágio no caminho para o sacerdócio com menos significado. Contudo, nos últimos anos, a Igreja Católica introduziu a ordem do Diácono Permanente aberta a homens casados ​​adequados que não serão ordenados sacerdotes. O papel deles é ajudar o pároco de várias maneiras.

Resumidamente, um diácono pode desempenhar muitas funções de sacerdote, incluindo batismo, casamento e várias tarefas litúrgicas, mas não pode celebrar a Eucaristia ou ouvir confissões.

Os diáconos remontam ao cristianismo do primeiro século. Mais tarde, houve diáconos até do sexo feminino. Na igreja católica de hoje (e talvez também na igreja ortodoxa), os diáconos são de dois tipos - transitórios, um estágio antes da ordenação para a primeira infância - e "permanentes" - geralmente homens casados. Os diáconos em transição teriam feito um voto celibato (permanecer solteiro) Os diáconos permanentes não fazem esse voto, mas não seguirão para o sacerdócio.

Como padres, os diáconos podem pregar na missa, presidir batismos e cerimônias de casamento. Eles não podem fazer missa ou ouvir confissões. Eles costumam servir nas paróquias para ajudar o pastor de várias maneiras, inclusive visitando paroquianos doentes. Eles também podem ocupar escritórios administrativos na sede da diocesana.

O diácono é um ministro ordenado - ao lado de presbíteros (sacerdotes) - que serve a igreja sob a direção do bispo.

De fato, o diácono é tradicionalmente a mão direita do bispo, seus olhos e ouvidos na comunidade, um membro da equipe do bispo no nível diocesano ou de reitor, enquanto o padre é tradicionalmente associado a uma paróquia ou congregação local.

Os diáconos são os assistentes ou agentes do bispo, enquanto o presbiterado é um conselho de conselheiros do bispo (bem como pastores locais).

Muitos pais da igreja usaram um paralelo trinitário para considerar o relacionamento dos ministros ordenados: o bispo como Deus Pai, o diácono como Cristo o Filho, a diaconisa como o Espírito Santo e o presbiterado como o colégio de apóstolos reunidos ao seu redor.

Hoje em dia, no entanto, essa relação clara tem sido um tanto confusa, através de um desenvolvimento histórico de séculos, pela existência dos chamados diáconos de transição (seminaristas) e pela distinção sociológica, mas não teológica, entre um presbiterado majoritariamente celibatário e um diaconado majoritariamente casado, de modo que o diácono é mais frequentemente um voluntário, um homem casado próximo da idade da aposentadoria que está ajudando o pastor local em alguma área do ministério sacramental ou catequético. Muitos diáconos têm um foco particular no serviço de caridade.

Obrigado pela A2A. Na moderna Igreja Católica do Rito Latino, Al Lundy oferece uma ótima descrição.

Os diáconos são ministros ordenados (assim como padres e bispos). Homens aprendendo a ser sacerdotes (seminaristas) são ordenados diáconos por um período de cerca de 9 meses, como parte de seu estágio final de formação em preparação para o sacerdócio. Também existem homens (geralmente mais velhos e casados) que são ordenados diáconos "permanentes".

Como ministros ordenados, os diáconos desempenham um papel ministerial e sacramental formal dentro da Igreja. Nos EUA, os diáconos permanentes são mais comumente usados ​​como ministros pastorais adjuntos em uma paróquia. Eles podem realizar batismos, testemunhar casamentos, pregar e ajudar na missa, visitar os doentes, realizar rituais funerários, etc. Muitas vezes, eles lideram equipes ministeriais de vários tipos, de acordo com sua experiência e chamado. Como (muitas vezes) homens casados, eles podem levar algumas das equipes do ministério a casais e famílias ou talvez a viúvas / viúvos. Geralmente, os diáconos permanentes são “meio período”, pois têm empregos seculares e servem à Igreja fora do horário de expediente.

O diaconado permanente não tinha sido usado em muitos séculos e foi restaurado durante as reformas após o Vaticano II. De muitas maneiras, a Igreja vem lentamente buscando o melhor uso desses ministros para ajudar a suprir muitas das necessidades da Igreja moderna, principalmente porque o número de padres diminuiu em alguns países.

Uma pergunta interessante neste momento da história. O Papa Francisco havia estabelecido uma comissão para estudar a história dos diáconos das MULHERES na Igreja primitiva. Seria um grande salto adiante se a Igreja ordenasse mulheres ao diaconado.

Mas o que é um diácono? Existem dois tipos de diáconos na Igreja Católica. (Os protestantes terão que responder por sua denominação.) Os diáconos em transição são homens que se preparam para o sacerdócio. Eles têm certos direitos e deveres, mas principalmente querem ser padres.

Diáconos permanentes são homens que permanecerão nesse status. Os diáconos permanentes são capacitados pelo bispo para ajudar os sacerdotes de várias maneiras. Eles podem pregar, batizar, ensinar. Em nossa paróquia local, um diácono de língua espanhola desempenha um papel importante no ministério da crescente população latina. Os diáconos não podem fazer missa ou ouvir confissões. Diáconos de transição não podem se casar. Diáconos permanentes podem ser homens casados. De fato, muitos católicos simplesmente se referem a eles como "diáconos casados". A maioria dos diáconos permanentes tem “empregos diurnos” regulares e funcionam como diáconos nos fins de semana. Suas fileiras cresceram substancialmente desde que o diaconado permanente foi restaurado após o Concílio Vaticano da década de 1960.

Somos homens de fé católicos chamados a servir nossas comunidades em um ministério único do sacerdócio.

Muitos de nós somos homens casados, muitos com ocupações em período integral ou parcial no mundo secular.

Os períodos e métodos de qualificação e formação variam de acordo com a diocese.

Servimos o bispo em vários ministérios pessoais, em nossas paróquias e em nossas comunidades.

Em geral, servimos, pregamos e ensinamos.

Como clero ordenado, recebemos privilégios e faculdades por meio de nosso bispo que nos permitem batizar, testemunhar casamentos, proclamar o Evangelho na Missa e prestar serviços funerários.

Raramente dois diáconos têm exatamente as mesmas responsabilidades e ministérios.

Ao contrário de alguns de nossos colegas protestantes, somos permanentemente ordenados. Se nosso cônjuge nos preceder na morte, devemos permanecer celibatários ou abandonar nossas faculdades ordenadas.

Existem duas categorias de diáconos: permanente e de transição.

Os diáconos de transição estão em formação para ordenação como sacerdotes e são diáconos ordenados no último ano no seminário.

Os diáconos permanentes não estão em formação para o sacerdócio.