Curandeiros alternativos

talvez ambos.

Um pouco de ambos, eu acho. Você encontra pessoas totalmente autoconfiantes de que podem curar o diabetes tipo 1, observe que eu disse curar e não tratar, com ajuste da coluna e vitaminas. Eles se consideram profissionais da área médica e, como tal, esperam ter uma boa vida com seus problemas. Eu conheço algumas dessas pessoas, elas não são pessoas ruins, têm boas intenções, embora eu ache que seu pensamento não seja bem fundamentado na ciência. Isso não quer dizer que não existam pessoas que sabem que o que estão vendendo é uma porcaria completa. Há muito dinheiro na medicina "alternativa" e você pode apostar que atrai algumas pessoas astutas que dirão o que for preciso para ganhar dinheiro.

Como em todas as profissões, há indivíduos que veem uma oportunidade de obter ganhos monetários sem levar em conta o resultado de seus esforços ou o impacto nas vidas daqueles que afetam.

Outros acreditam firmemente em suas habilidades, ou “poderes” para curar, prever, fazer leituras físicas, passar mensagens do falecido, professar iluminar a raça humana, a lista é quase infinita.

Outros, ainda, obtêm ampla educação em práticas que podem trazer benefícios reais para seus crentes. Cura naturalística com ervas e substâncias orgânicas ricas em vitaminas / minerais, conselheiros nutricionais, gerenciadores de perda de peso e praticantes de homeopatia, osteopatia, macrobiótica, quiropraxia, são apenas alguns. Pelo menos existem vários graus de substância científica em suas crenças.

Acho que você poderia dizer que nem todo mundo é mau, mas nem todo mundo é bom!

Eu vi um gato fazer acupuntura e o gato não tem mais dor onde está artrítico, então não tenho certeza se a acupuntura não funciona, há charlatanismo por aí, mas também há um tratamento que ninguém sabe como funciona e funciona. Eu não acho que enfiar agulhas em um gato pode tornar um gato hipocondríaco que pensa que está curado se for atingido por agulhas, mas eu vi um gato permitir que alguém coloque agulhas sob sua pele e isso me faz Acredito que talvez a acupuntura seja real, quanto a qualquer outra coisa, não tenho ideia, mas não vou promover nada além de ir ao médico e fazer um exame médico. Há igrejas que mataram crianças porque pensaram que a oração vai curar as crianças e acabaram sendo diabéticas e morrendo, então sim, as pessoas deveriam ir ao médico quando estiverem doentes e os pais têm a obrigação legal de garantir que estão tomando cuidar de seus filhos, pelo menos fisicamente

Você está falsamente confundindo muitas coisas diferentes. Certamente existem muitos tipos de "cura alternativa" que são totalmente absurdos, mas são acreditados com fervor por seus médicos, dos quais um exemplo importante é a homeopatia. Há outros que são golpes completos, como as máquinas de “água alcalina” e os vários tipos de “suplementos para emagrecer” que você vê anunciados na televisão tarde da noite.

Existem outros tipos de “cura alternativa” que são de fato muito eficazes quando usados ​​adequadamente para tratar certas condições de saúde que são sensíveis a eles. A acupuntura e a quiropraxia são bons exemplos disso.

Todos os tipos de medicamentos são, infelizmente, suscetíveis a falsas crenças e golpes. O que você chama de “medicina baseada na ciência” não está imune. Por exemplo, acredito que nós, como sociedade, estamos nos supermedicando com medicamentos caros, que em muitos casos são totalmente desnecessários e, em outros, os bons efeitos são superados pelos efeitos colaterais. Como outro exemplo, pesquisas rigorosas demonstraram que as mamografias anuais não reduzem de fato a mortalidade por câncer de mama. No entanto, a indústria de mamografias se recusa a aceitar isso e muitos médicos ainda as recomendam, embora tenham provado que causam pelo menos tanto mal quanto bem.

Depende.

Havia uma mulher (não me lembro o nome) que era muito defensora da teoria da conspiração de que os anti-retrovirais causam AIDS e que tudo isso é uma conspiração de “big pharma”. Ela tinha um blog aconselhando “remédios à base de ervas”, “purifica” etc. Ela também estava sofrendo de AIDS e, ao ler seu blog, os espectadores horrorizados podiam acompanhar claramente o agravamento dos sintomas e, por fim, a morte. Ela realmente acreditava no que pregava, ao custo de sua própria vida.

Muitos “curandeiros de ervas” e semelhantes estão sentados em cima do muro: eles praticam o que aconselham, mas quando chega a hora, recorrem à medicina “oficial” e aconselham o mesmo aos seus “pacientes”.

E então, há um grande número daqueles que vendem seu óleo de cobra totalmente cientes do que estão fazendo.

Para ser justo, o mesmo pode ser feito em relação aos médicos que meditam excessivamente seus pacientes ou aconselham procedimentos diagnósticos ou cirúrgicos desnecessários ou muito arriscados.

Infelizmente, a linha entre dois grupos às vezes é confusa, especialmente em psiquiatria. Bons exemplos são os momentos em que a eletroconvulsoterapia estava na moda, e até mesmo a lobotomia parecia uma boa ideia com frequência. Um exemplo mais moderno seria “epidemias” periódicas de sobrediagnóstico de doenças como o TDAH. Será o último complô da indústria farmacêutica empurrando a Ritalina e similares, os psiquiatras “culpados” realmente acreditam no que estão fazendo, ou mesmo em ambos?